0

O ano de 2020 chega com muitas tendências no universo digital para empreendedores, empresas e profissionais de marketing ficarem de olho.

Filtramos 20 tendências que devem aquecer o mercado no primeiro ano da nova década:

1. Todos querem o próprio streaming

Com a Netflix perdendo assinantes e ganhando mais concorrentes no mercado de streaming, como Apple TV+, Amazon Prime Video, Disney Plus, há quem diga que a pirataria de filmes e séries deve aumentar como resposta à alta demanda de plataformas. Seja como for, isso mostra que o vídeo se consolida como principal formato de consumo de conteúdo online.

2. Deepfake

Em 2020 teremos eleições municipais e a versão em vídeo das fakenews é algo para ficar de olho. Com o avanço da Inteligência Artificial, é possível modificar rostos e falas de um vídeo. Ao mesmo tempo em que é bom para emplacar memes, é ruim pela possibilidade de manchar reputações.

3. Influenciadores x Mídia tradicional

Segundo a pesquisa #Hashtag Seguidores divulgada pelo Diário de Campo, 43% dos internautas dizem ter vício em seguir influenciadores.

4. Tik Tok

O app chinês Tik Tok superou o Facebook e Instagram e já é o terceiro aplicativo mais baixado no Brasil nos últimos três meses, tornando-se a sensação do público mais jovem.

5. Instagram

Do algoritmo ao fim da relevância dos likes, 2019 foi o ano de grandes mudanças para a rede social de Mark Zuckerberg. Seja como for, o Instagram reina absoluto como a rede social de maior retenção de audiência no Brasil. Não se trata de “mais uma rede” mas a principal e mais poderosa mídia de vendas e exposição atualmente.

6. Telegram

Depois de chamar a atenção dos brasileiros devido ao cenário político, além de ser uma alternativa para as diversas quedas do WhatsApp, o Telegram ganhou mais força e tudo indica que você terá uma conta neste app em 2020. Além de ser mais rápido que o WhatsApp na troca de mensagens, possui mais recursos visuais e de armazenamento. Diversas marcas e influenciadores utilizarão os “canais” com conexões ilimitadas do Telegram, o que transforma o concorrente do WhatsApp numa poderosa ferramenta do cotidiano.

7. Podcasts

O consumo de podcasts no Brasil cresceu 67% em 2019, segundo estudo do Spotify. Enquanto redes sociais chegam ao consumidor durante o período noturno e nos chamados “micro momentos”, os podcasts são ouvidos a qualquer hora do dia ou da noite, durante o treino na academia, no banho, na cozinha, no ambiente de trabalho, no carro, etc. É uma mídia que não invade, não interrompe e tem tudo para se tornar “o novo vídeo”.

8. Google e as redes sociais

Fracassou com o Orkut, depois com o Google Plus. Em 2020, o Google se redime da tentativa de dominar as redes sociais e agora  o buscador promete incorporar nos seus resultados de pesquisa o conteúdo das redes sociais, entre outros recursos.

9. Agrade algoritmos e pessoas

Pessoas sempre em primeiro lugar. Mas não ignore os algoritmos de cada plataforma. Dar o que pessoas e máquinas querem é o caminho para ter sucesso no mundo digital. Relevância, consistência e conteúdo de qualidade continuam sendo os pilares para engajar e conectar com o público.

10. Esqueça os feeds bonitinhos!

Até 2019, as marcas se preocuparam excessivamente em construir lindos feeds no Instagram. Geralmente, quem defende este tipo de estratégia está vendendo algum tipo de serviço relacionado ou não tem noção alguma sobre como trabalhar nas mídias sociais. Em 2020, veremos ainda mais a desconstrução destes formatos e seguiremos para uma comunicação digital menos “enfeitada”, mais real.

11. Copywriting X Tráfego

Copywriting é a arte da escrita persuasiva e o sucesso dos negócios na Internet depende cada vez mais da boa escrita. “Vender com texto” aliado à qualidade do tráfego gerado (os anúncios que você utiliza para chegar ao seu público-alvo) deve aumentar em 2020.

12. Facebook como plataforma de anúncios

OK, o Instagram é lindo mas é no Facebook que estão os dados das pessoas. Mesmo que o Facebook pareça cair em preferência dos brasileiros, não o descarte em sua estratégia digital.

13. Popularização dos chatbots

Se o futuro do trabalho é mais remoto e o que é repetitivo cada vez mais automatizado, acostume-se ao atendimento com chatbots, robôs que fazem o trabalho de atendimento via chat em redes sociais, aplicativos, sites, entre outros.

14. Live no LinkedIn

O Linkedin é uma rede social pouco aproveitada pelas marcas, ainda vista por muitos como uma plataforma de ostentar currículos e carreiras. Mesmo assim, é a rede social com maior alcance orgânico. O novo recurso de Lives está em teste com alguns players e deve chamar mais a atenção dos profissionais de marketing e produtores de conteúdo.

15. Novidades mais frequentes no WhatsApp e WhatsApp Business

Já é possível divulgar seu catálogo de produtos diretamente no aplicativo e os anúncios nos status estão chegando. Com o crescimento do concorrente Telegram, devemos ver mais integrações entre os apps de Mark Zuckerberg e o lançamento de outras novidades.

16. Olimpíadas Tóquio 2020

Já considerada a edição mais futurista de todos os tempos, os jogos olímpicos no Japão devem apresentar muitas novidades tecnológicas e várias tendências virão de lá.

17. Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)

A lei 13.709, que dispõe sobre o tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, finalmente entrará em vigor e provocará uma aceleração pela “higienização dos dados” nas empresas, entre outros cenários derivados da necessidade de mudança e adaptação à LGPD.

18. “Menos é mais” para a qualidade de vida

Com tanta informação disputando a atenção de pessoas 24h por dia, estamos ficando mais seletivos no relacionamento com mídias e pessoas. Ao mesmo tempo em que estamos mais conectados digitalmente, devemos ver um forte movimento pela “desconexão” para preservar as relações humanas.

19. Comunidades mais fortes

Do recurso de Close Friends do Instagram aos canais de Telegram e grupos de WhatsApp ou Facebook. Com a diversidade de cultura e conteúdo, o surgimento de redes sociais como a Hello (do criador do Orkut) mostram que a nova década começa com um movimento forte de valorizar a segmentação e resgatar as comunidades, oferecendo imersão em conteúdos relevantes e uma comunicação ainda mais de nicho.

20. Investir no desenvolvimento humano

Tecnologias vão surgir todos os dias e velhas rotinas de trabalho sem sentido darão lugar à automação e novas profissões. Para tornar-se protagonista nessa nova realidade global, empresas e pessoas devem buscar as habilidades comportamentais (soft skills) como fator de adaptação e sobrevivência. Investir nas pessoas é o caminho para (co)existir em um mundo mais conectado.

Com informações de MFLiX Media Group e Jornal do Comércio

 

Hotminds

Veja também