0

Falar sobre Indústria 4.0, Era Digital, Machine Learning e Inteligência Artificial pode trazer um ar de modernidade e parecer ainda distante de nossa realidade. Mas, tudo isso já faz parte da rotina de milhares de profissionais mundo afora e irá inundar a realidade das mais diferentes áreas, setores e segmentos de mercado nos próximos anos.

E se você ainda tem dúvida de que essa já seja sua realidade, separamos as 5 provas cabais de que você está mais próximo do que imagina de ser um Profissional do Futuro.

 

Home Office: com a Era Digital, o computador e a internet passaram a ser nossas principais ferramentas de trabalho e quase tudo o que fazemos é mediado pela tecnologia. O uso das mensagens instantâneas, do WhatsApp, das salas de webconferências e os documentos compartilhados nos permitem estar sempre em contato sem que para isso seja necessário a presença física.

Essa realidade e a crescente busca por flexibilidade e otimização do tempo, faz com que o trabalho remoto (Home Office) seja cada vez mais desejado pelos profissionais e também pelas organizações.

Segundo uma pesquisa da Harvard Business Review, a produtividade de um colaborador em Home Office chega a ser 13,5% maior e sua satisfação segue esse padrão com a economia de tempo e energia em deslocamentos e trânsito.

https://www.instagram.com/p/By0_hFenr9B/

Atuação por Projeto: a velocidade das mudanças não para de crescer e nesse cenário que exige constante adaptação e inovação, deixa de fazer sentido estabelecer processos e escopos de atuação por áreas. Como consequência, uma tendência que ganha cada vez mais adeptos é a organização de células ou grupos de trabalho, mobilizadas para resolver problemas ou gerar inovação seguindo o escopo de um projeto com início, meio e fim.

A efetividade dessa proposta de formato de trabalho exige que o profissional, além de flexibilidade mental e colaboração, seja um especialista em sua área, gerando o máximo de valor para o grupo. No futuro, a ideia de profissionais generalistas será extinta. Os Profissionais do Futuro são por essência especialistas que navegam no mundo com sua lupa de especialidade, enquanto ampliam sua visão sistêmica.

Eu-empreendedor: a profusão dos ideais da Gig Economy ou economia freelancer, ou sob demanda é uma das mais expressivas provas das transformações que vive o mercado de trabalho. A ideia de se trabalhar mobilizando seus talentos a maior parte do tempo e de forma aplicada a diferentes propostas e projetos tem atraído mais e mais pessoas mesmo sendo o aparente custo deixar a carteira assinada.

Se essa é uma tendência que pode não fazer muito sentido para você, talvez seja hora de revisar suas concepções porque o contrato de trabalho em tempo integral começa a deixar de ser a preferência das organizações que também passam a adotar modelos de trabalho mais flexíveis, seja por meio de terceirização, consultorias, serviços temporários, ou contratações por projeto e demanda especializada. Isso significa que você terá cada vez menos chefes e será cada vez mais seu próprio líder.

Domínio Tecnológico: se o avanço tecnológico cresce em escala exponencial, isso significa que precisaremos dominar essa tecnologia para que ela trabalhe a nosso favor, assim como no passado tivemos que deixar a máquina de datilografia para usar o computador. Isso significa entender como a tecnologia vai alterar sua área de trabalho e aprender sobre programação, robótica e inteligência artificial – os novos idiomas da Era 4.0.

Pode parecer que há um certo exagero nessa constatação, mas se você pensar em quantos sistemas de automação, softwares e até Bots você já usa na sua rotina de trabalho, seja como ferramentas apoiar suas entregas, seja como fonte de levantamento de dados, você perceberá que, de fato, você já está se tornando um Profissional do Futuro há algum tempo.

Criatividade Humana: Segundo o Fórum Econômico Mundial, 52% das tarefas do ambiente corporativo serão realizadas por robôs até 2025. Isso significa que deixaremos de trabalhar como seres autômatos para atuarmos catalisando nosso potencial humano – insubstituível e não replicável.

Para se ter uma ideia do quanto o mercado de trabalho já anseia por profissionais mais humanos, vale ressaltar que hoje o principal motivo de demissões refere-se a questões comportamentais – dificuldade de se relacionar e criar. Se na sua realidade de trabalho de hoje você se comunica, planeja e cria mais do que opera e realiza processos, você tem uma promissora carreira como Profissional do Futuro.

Se o mundo mudou, isso significa que você também será pressionado para mudar. Isso pode ser mais ou menos doloroso à medida que você se abrir para a mudança e pensar como ela pode potencializar sua carreira. O primeiro passo? Se tornar um especialista em si mesmo!

Fonte: Ciência do Protagonismo

Elzí Campos

Veja também