0

Com o aumento de smartphones conectados à Internet, o conteúdo verticalizado também cresceu nas mídias sociais. Quando o Instagram lançou o IGTV, em 2018, a aposta da rede social era ditar uma nova tendência: os vídeos em formato vertical (9:16). Embora tenha possibilitado o upload de vídeos horizontais, o IGTV inspirou criadores de conteúdo no mundo todo a explorarem um novo formato de produção.

Acompanhando a tendência, a China está indo além. Os produtores orientais criaram e editaram dramas especialmente para quem prefere assistir vídeos com o smartphone na vertical.

Em 2018, a gigante Tencent liberou séries neste formato, incluindo títulos como My Boyfriend-ish Sister‘ e ‘My Idiot Boyfriend‘. No mesmo ano, a chinesa Baidu também lançou sua própria produção vertical — intitulada Ugh! Life!‘. Em 2019, foi a vez da comédia ‘Arg Director’.

Criadores chineses apostam em produções de vídeos na vertical (Crédito da foto: iQiyi)

Conforme publicado pelo The Next Web, as principais características de uma série vertical são:

  • VÍDEOS CURTOS, com duração entre dois e cinco minutos;
  • O FORMATO INFLUENCIA NO GÊNERO, sendo a comédia o predileto para vídeos verticais. A comédia requer bastante foco nas expressões faciais dos atores e permite uma edição com tomadas curtas;
  • LINGUAGEM VISUAL FRAGMENTADA, que mistura telas divididas e cortes rápidos entre as cenas — para conter mais informações na tela.

Cena da série ‘Ugh! Life!’, produzida em formato vertical (Crédito: Qiyi’s)

Vídeos curtos e na vertical

Os vídeos representarão 80% de todo o tráfego na Internet, segundo estudo da Cisco. E os dispositivos móveis são cada vez mais indispensáveis no cotidiano das pessoas em todo o planeta. Logo, era de se esperar que a indústria criativa olhasse para essa realidade.

Steven Spielberg, por exemplo, está criando uma série de terror (que só poderá ser vista à noite) para o serviço de streaming Quibi — plataforma criada especialmente para exibir filmes e séries em dispositivos móveis, com lançamento previsto para abril de 2020.

Junção de “quick” com “bites”, o Quibi terá episódios de 7 a 10 minutos. “São especificamente gravados para serem assistidos em qualquer lugar. Se você tem entre 25 e 35 anos, depois de se levantar você fica no smartphone por mais de 5 horas”, disse o fundador do Quibi, Jeffrey Katzenberg, em entrevista à Variety.

É relevante destacar que as produções de vídeos verticais não são exclusivas da criatividade chinesa, mas fazem parte de um novo contexto pautado pelo próprio formato vertical móvel. Em outras palavras, o vídeo para dispositivos móveis é uma nova possibilidade para criativos de todo o mundo desenvolverem novos conteúdos e descobrirem o que melhor agrega valor para a indústria do streaming e da criatividade em geral.

Fonte: Streaminds

Marcos Félix

Veja também